IconIconIconIconIconIcon

domingo, 7 de agosto de 2011

Os Smurfs: CRÍTICAS

Os smurfs fizeram parte da infância de muitos adultos, tendo eles aparecido pela primeira vez em 1958. Agora, eles retornam de uma maneira inovadora e agradável. Obviamente é um filme infantil, mas a diversão está lá para qualquer um que for assistir.



Dirigido pelo diretor Raja Gosnell, Os Smurfs estão disponíveis em 3D, onde um efeito incrível de profundidade foi usado na criação das principais cenas com as criaturas azuis. Desta vez a animação não se preocupa em ficar atirando objetos no público — talvez a criançada sinta falta disso –, mas o principal objetivo é deixar a animação ainda mais entrosada com o cenário real. O destaque vai para o início do filme, onde somos apresentados à vila do Papai Smurf, seus 99 filhos e a Smurfette, única garota da família. As pequenas tocas, as plantas, os objetos e os próprios smurfs estão impecáveis. O misto entre cenas reais e animação desde o início da adaptação se mostra de maneira perfeita, com efeitos visuais muito bem trabalhados. O espectador cai nas garras dos pequenos smurfs logo neste início mágico do filme.

Os personagens de Peyo são divertidíssimos e o filme consegue apresentá-los perfeitamente, com destaque para Desastrado e Ranzinza, que têm cenas objetivas para explicar porque cada smurf recebe um nome ligado à sua principal característica. Além disso, a própria dublagem original é um atrativo. Especialmente por conter a Katy Perry dando voz à Smurfette e trazendo ainda mais diversão pra história.

Os Smurfs cumpre a missão de introduzir o espectador no meio desta grande família e trazer à tona o ensinamento de que a união familiar é uma das coisas mais importantes do ser. Até mesmo o elenco real do filme se envolve em situações para explicitar esta mesma mensagem. Por fim, o filme acerta em cheio ao colocar os pequenos smurfs para fazerem homenagens ao criador original dos quadrinhos, o Peyo.

counter easy hit